UOL Música

Publicidade

28/09/2008 - 15h23
Justice e Marky são destaques do Skol Beats, que reuniu 16 mil; veja vídeos e fotos

Colaboração para o UOL

Mastrangelo Reino/UOL

Palco do Skol Beats 2008

Palco do Skol Beats 2008


Mesmo sob um frio que chegou perto dos 10 graus, os fãs de música eletrônica não deixaram de comparecer ao Sambódromo sábado (27) para a nona edição do maior festival do gênero no país. Por volta da 0h do domingo, todos os 15 mil ingressos disponíveis haviam se esgotado. Adicionando imprensa, convidados e organização, o evento recebeu cerca de 16 mil pessoas divididas entre o palco Skol Live e as tendas Skol Beats e Terra.

Os maiores destaques da noite foram a dupla francesa Justice e os DJ Marky, ícone paulistano do drum 'n' bass e Armin Van Buuren, holandês considerado o número um do mundo. O sistema de som de 200 mil watts funcionou bem, com poucas falhas, apenas em algumas das primeiras atrações.

Assista a trechos dos shows do Skol Beats 2008



No que diz respeito à organização, tudo ocorreu sem problemas graves. O público, que ainda era rarefeito às 20h, quando começava o primeiro show no palco principal, foi chegando lentamente até o pico da 0h, o que evitou grandes filas. O policiamento, com mais de 400 homens, também colaborou para que não houvesse incidentes.

Com bares, restaurantes e lanchonetes em quantidade generosa, o público se abasteceu com facilidade. Talvez por causa da lei seca, não foram registrados muitos casos de abuso de álcool.

Nos espaços menores, o produtor iraniano-americano Dubfire superlotou a tenda Skol Beats com sua mistura de house, hip hop, dub e elementos de rock e industrial. Já na tenda Terra, o DJ Renato Cohen, velho conhecido do público do festival, foi o maior destaque, com um set intenso para casa cheia. Uma impressão interessante sobre as tendas era a idade média mais alta dos freqüentadores, contrastando com o público do palco, formado em grande parte por adolescentes.

Os shows
O palco Skol Live, onde se concentrava a maior parte do público, foi inaugurado pela dupla brasileira Killer On The Dance Floor, enquanto o público começava a chegar. O clima começou a esquentar às 20h45 com o show dos cearenses do Montage. Performática como sempre e explorando a androginia do vocalista Daniel Peixoto, a apresentação demonstrou a nova cara do grupo, com menos rock e mais influência da atual cena eletrônica francesa na receita.

Em seguida, o Mix Hell, dupla de electro-rock formada pelo ex-baterista do Sepultura Iggor Cavalera e sua mulher, a DJ Laima Leyton, fez um show competente com uma abertura de impacto em que mixou a introdução de "From Whom The Bells Toll", do Metallica. Misturando o clima ao vivo do metal, sua cena de origem, ao bate-estaca eletrônico, Iggor se alternava entre os computadores e uma bateria eletrônica tocada ao vivo, o que conferia mais peso ao que já era barulhento.

No final, o Mix Hell já tocava para uma multidão, que aguardava a atração seguinte, a mais esperada da noite, Justice. A dupla francesa começou o show às 23h20 e levou a decoração de palco mais impressionante do festival.

Os dois integrantes, Gaspard Auge e Xavier de Rosnay, manipulavam sua parafernália atrás da cruz iluminada que sempre os acompanha e em meio a duas paredes de caixas de som para amplificadores de guitarra. O objetivo, evidentemente, era evocar um espírito roqueiro, pois as caixas, desprovidas de falantes, não emitiam som nenhum.

Além do aparato, também era típico de rockstars veteranos o domínio que o duo tinha sobre a numerosa platéia. Em músicas como "Never Be Alone (We Are Your Friends)", o público entoava o refrão em uníssono e reagia como se estivesse hipnotizado, a cada movimento do carismático Rosnay, que vez por outra fazia o sinal da vitória e vinha à frente do palco. Com som perfeito e desempenho impecável, o barulho do Justice foi o mais memorável do festival.

Justice - "Genesis" (ao vivo no Skol Beats 2008)


Em seguida, Marky subiu ao palco por volta das 0h40, na companhia do inglês MC Stamina, com a responsabilidade de manter a energia trazida pelos franceses. No que diz respeito à empolgação do público, conseguiram com facilidade. Stamina cantava e chamava o público para dançar com suas intervenções sobre a discotecagem veloz e ágil do DJ, numa apresentação dançante, com carisma de sobra.

Terminado o set de Marky, o público começou uma lenta debandada, tanto para casa quanto para o set de Dubfire na tenda Skol Beats. O da banda australiana Pendulum, iniciado à 1h45, já foi para uma platéia perceptivelmente menor e menos entusiasmada, apesar da boa performance, misturando o formato roqueiro, com guitarra, baixo e bateria, à base drum´n'bass, num resultado competente e pesado.

Em seguida, o Digitalism conseguiu recuperar parte do público. Com atraso de meia hora, a dupla alemã, que teve shows cancelados no Brasil no final de 2007, começou a tocar às 3h30. Apesar de competente e com boas tentativas de interação com a platéia, foi difícil manter o pique.

O frio, o cansaço na pista e o baixo volume sonoro no início fizeram com que o resultado final ficasse aquém do das atrações anteriores. No final, a maior parte do público já havia deixado o Sambódromo.

Digitalism - "I Want I Want" (ao vivo no Skol Beats 2008)



As duas últimas apresentações do festival, no entanto, conseguiram animar os que resistiram até o final. O holandês Armin Van Buuren entrou às 4h35 e fez o público dançar até o nascer do sol, num set de quase duas horas e meia da sua característica combinação de tecno e trance.

As 7h foi a vez de Gui Boratto encerrar com categoria a longa maratona. Acompanhado de banda, o DJ paulistano fez um live P.A. baseado em seu último álbum, "Chromofobia", enquanto os últimos remanescentes insistiram em dançar até depois das 8h30, como se as mais de 12 horas de música eletrônica ainda estivessem longe de terminar. (PEDRO CARVALHO)


ÚLTIMAS NOTÍCIAS
16/06/2009

13h46- Aerosmith toca íntegra de disco clássico de 1975 em turnê

12h30- Primeiro festival de documentário musical começa dia 25 em São Paulo

12h15- Integrante da banda The Ventures, Bob Bogle morre aos 75 anos

12h07- http://img.uol.com.br/ico_assistir.gif Jeff Beck toca "Where Were You" ao vivo

12h05- http://img.uol.com.br/ico_assistir.gif Guitarrista inglês Jeff Beck toca "Big Block"

12h02- http://img.uol.com.br/ico_assistir.gif Clipe ao vivo de "Scatterbrain" com Jeff Beck

12h00- http://img.uol.com.br/ico_assistir.gif Jeff Beck toca "Goodby Pork Pie Hat" ao vivo

11h58- http://img.uol.com.br/ico_assistir.gif Jeff Beck toca "Led Boots" ao vivo em Londres

11h43- Spyro Gyra e homenagem a Carmen Miranda passam por palcos paulistanos

11h39- Violinista Hilary Hahn apresenta repertório erudito na Sala São Paulo

Mais Notícias