UOL Entretenimento Música
 

20/06/2010 - 13h00

Skank faz show de três horas no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte para gravação de seu CD/DVD ao vivo

Rodrigo James
Colaboração para o UOL

Nunca a relação entre o Skank e o futebol foi tão íntima. Na noite de 19 de junho, véspera do segundo jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo 2010, todos os anos em que a banda vestiu camisetas de clubes no palco, participou de torneios organizados por emissoras de televisão e se tornou referência para quem gosta das duas artes - música e futebol - fizeram sentido. Ao subir no palco armado no estádio do Mineirão para o show que marcaria a gravação de seu CD/DVD "Multishow ao Vivo - Skank no Mineirão", Samuel Rosa (voz e guitarra), Henrique Portugal (teclados), Haroldo Ferretti (bateria) e Lelo Zaneti (baixo) devem ter sentido que a execução de "Uma Partida de Futebol" naquela noite seria especial e emocionante. "Nada em nossa carreira é comparável ao que está acontecendo aqui nesta noite", diria Samuel mais tarde, para definir o momento.

Setlist

1. Mil Acasos
2. Um Mais Um
3. É Uma Partida de Futebol
4. Esmola
5. Pacato Cidadão
6. Uma Canção é Pra Isso
7. É Proibido Fumar
8. Presença (inédita)
9. Amores Imperfeitos
10. Ainda Gosto Dela (participação: Negra Li)
11. Noites de Um Verão Qualquer
12. Jackie Tequila
13. Balada do Amor Inabalável
14. Acima do Sol
15. De Repente (inédita)
16. Três Lados
17. Vou Deixar
18. Garota Nacional
19. Sutilmente
20. Vamos Fugir
21. Saideira
22. Resposta
23. Dois Rios
24. Te Ver
25. Tanto
26. De Repente (reprise)
27. A Cerca
28. Uma Canção é Pra Isso (reprise)
29. Presença (reprise)
30. Canção Noturna
31. O Beijo e a Reza
32. Ali
33. Vamos Fugir (reprise)
34. Tão Seu

O show começou 10 minutos antes do horário previsto e foi aberto com "Mil Acasos", um dos muitos hits acumulados pelo Skank nos últimos anos e um dos prediletos da legião de fãs que participou ativamente da escolha do repertório da noite. Mais de 400 mil votos foram computados no site oficial da banda e o resultado final não poderia ser diferente: um grande "greatest hits", que passeou por todas as fases, com direito a alguns "lados b" favoritos dos fãs, como a segunda música do show, "Um Mais Um".

E aí, logo na terceira música do show, o ápice da relação Skank/futebol. Entoada pelas 45 mil pessoas que compareceram ao Mineirão, "É Uma Partida de Futebol" soou única. Samuel Rosa conclamou o público (ou a torcida) presente a mandar boas vibrações para a Seleção Brasileira e foi prontamente atendido com um côro de "Ahá Uhu, o Mineirão é nosso!", bastante comum nos jogos de futebol que ali aconteceram. Vale lembrar que o show foi o último evento do Mineirão antes de ser fechado para a reforma visando a Copa do Mundo de 2014.

Duas canções inéditas foram apresentadas pela banda. "Presença", um pop acelerado, de autoria de Samuel Rosa e Nando Reis; e "De Repente", de Samuel e Chico Amaral, cuja levada lembra a fase inicial da banda, com uma sonoridade mais puxada para o dancehall e o reggae. Uma exaltação a Belo Horizonte ("Vocês são mais do que público, são cúmplices da nossa história") precedeu a bela "Amores Imperfeitos" e, na sequência, a única participação especial do show: Negra Li reprisou no palco do Mineirão a bem sucedida parceria em "Ainda Gosto Dela", do álbum "Estandarte". O duelo de vozes entre ela e Samuel resultou em um dos momentos mais emocionantes da noite.

Em "Três Lados", Samuel pediu para o público reprisar o movimento de hélice com as camisetas nas mãos, criado espontâneamente durante a gravação do primeiro CD ao vivo da banda, em Ouro Preto (MG), no ano de 2001. O efeito visual disto, visto de qualquer ponto do estádio, foi o ponto alto da noite. A primeira parte do show terminaria com a sequência "Vou Deixar" / "Garota Nacional" / "Sutilmente" / "Vamos Fugir" / "Saideira".

No intervalo, cenas do primeiro jogo da Seleção Brasileira no Copa da África do Sul, contra a Coréia do Norte, mostradas nos telões, animaram a multidão. Os gols de Maicon e Elano serviram para que o público não esfriasse e saudasse a banda, que voltou ao palco para tocar um de seus maiores hits, "Resposta". Além das reprises de "Presença", "De Repente", "Uma Canção é Pra Isso" e "Vamos Fugir", a segunda parte do show reservaria algumas surpresas no repertório, como as canções "Ali", "o Beijo e a Reza" e "A Cerca", que não costumam estar nos setlists da banda. Ao final das quase três horas de show, público e banda se despediram do Estádio do Mineirão com a certeza de terem presenciado um réquiem mais do que digno para o local. Uma noite que vai ficar na memória dos fãs do Skank e do bom futebol, que definitivamente continuarão a caminhar juntos.

Hospedagem: UOL Host