UOL Entretenimento Música
 

11/10/2010 - 01h27

Kings of Leon faz show de 1h no SWU, mas público queria apenas "Use Somebody"

MARIANA TRAMONTINA
Enviada especial a Itu (SP)
  • O cantor e guitarrista do Kings of Leon, Caleb Followill, em show da banda no Festival SWU, em Itu (10/10/2010)

    O cantor e guitarrista do Kings of Leon, Caleb Followill, em show da banda no Festival SWU, em Itu (10/10/2010)

O Kings of Leon, atração principal deste domingo (10) no festival SWU Music and Arts Festival, poderia ter entrado em cena apenas para tocar "Use Somebody" e ir embora. A plateia posicionada frente ao palco sairia satisfeita só com essa música, que a banda colocou no final do repertório e deixou quase todos esperando para cantar junto durante pouco mais de uma hora de show. Os outros três discos da família Followill passaram despercebidos pela plateia.

O grupo encerrou a programação do Palco Água frente a uma multidão, na qual dois públicos do Kings of Leon --entre fãs de Dave Matthews Band e Joss Stone, atrações do mesmo dia-- eram facilmente reconhecidos: aqueles que só conhecem "Use Somebody" e o hit premiado com o Grammy "Sex On Fire", cantadas em uníssono, e os fãs de carteirinha que quase se recusam a cantar essas duas músicas para provar que não são fãs apenas por causa desse hits.

Competentes tecnicamente, mas pouco sociáveis. A banda, conhecida pela postura apática e pelas exigências em seus shows --desta vez proibiram que fotógrafos se posicionassem em frente ao centro do palco e exigiram que as imagens exibidas à noite no telão para o público fossem em preto e branco--, até tentou interagir mais com o público, mas só recebeu retorno quando tocaram as músicas de "Only By The Night", disco de 2008.

Canções mais antigas --como "Molly's Chambers", "Fans" e "The Bucket"-- rendiam tamanha distração para a plateia que havia pessoas de costas para o palco. Se as músicas dos discos anteriores foram ignoradas, as novas foram recebidas com frieza semelhante a que fazia nesta noite na Fazenda Maeda --cerca de 10ºC. Como prometido, o Kings of Leon deu amostras do que virá em "Come Around Sundown", o novo trabalho previsto para sair no final deste mês, com "Radioactive" e "Mary".

Conforme adiantou o vocalista e guitarrista Caleb Followill em entrevista a jornalistas em São Paulo, na última sexta-feira (8), as faixas inéditas parecem mesmo que não serão absorvidas tão imediatamente quanto o restante da discografia. Ou de "Only By The Night", que foi priorizado no show, deixando de fora hits consagrados pelos fãs como "Charmer", "Cold Desert" ou "King of the Rodeo". Depois de "Use Somebody" a plateia foi esvaziando-se potencialmente. Poucos ficaram para ouvir a última música, "Black Thumbnail".

Elegância de Joss Stone e show cancelado
No segundo dia do SWU, passaram 56 mil pessoas pela Fazenda Maeda, segundo dados da organização. Antes do Kings of Leon, no mesmo palco a musa britânica de soul Joss Stone levou elegância e sensualidade para a fazenda, cantando músicas de seu disco mais recente "Colour Me Free". O Sublime With Rome foi a primeira atração internacional do palco, que levou seu ska-punk-pop para a programação.

O Palco Água estava previsto para abrir às 14h com o show de Iló Ferreira. Por causa de problemas técnicos no som, a banda do cabo-verdiano cancelou a apresentação para não atrasar a programação do evento.

O Teatro Mágico ocupou o Palco Ar e, na sequência, entrou o Jota Quest no Palco Água. Os mineiros tocaram por cerca de 40 minutos e, além de novos sucessos acompanhados na voz da plateia, relembraram hits antigos como "Encontrar Alguém".

O Palco Ar recebeu também Capital Inicial, a cantora Regina Spektor e o Dave Matthews Band. O Palco Oi Novo Som teve nomes como Volver, Tulipa Ruiz, Otto e Bom Estéreo, entre outros. A tenda eletrônica foi aberta com Mario Fischetti e recebeu Life Is a Loop e Sharam, entre outras atrações.

 

Hospedagem: UOL Host