Topo

Música


Filho de Renato Russo diz que não autoriza música do pai para vender bebida

Imagem do site oficial dedicado a Renato Russo, antes da inauguração - Reprodução
Imagem do site oficial dedicado a Renato Russo, antes da inauguração Imagem: Reprodução

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

27/03/2014 06h00

No dia em que Renato Russo completaria 54 anos, Giuliano Manfredini, filho do vocalista da Legião Urbana, lança o primeiro site oficial dedicado à vida e obra do artista. Para o herdeiro do cantor, o endereço www.renatorusso.com.br vem manter acesa a chama da obra do compositor, que morreu em 1996.

  • Daniel Marenco/Folhapress

    Giuliano Manfredini, único filho de Renato Russo no apartamento do músico em Ipanema (RJ)

Após um tributo com direito a holograma e agora o lançamento do site, Giuliano surge como principal responsável pelo legado da banda. "Não me comporto como empresário, mas como filho apaixonado pelo pai e por sua obra. Meu exemplo é o do João Cândido Portinari, que organizou a obra, resgatou a memória e mantém vivo o nome, a obra e a importância do legado genial de seu pai [Cândido Portinari], nosso maior artista plástico", disse ele em entrevista por e-mail ao UOL.

O site será todo mantido por Giuliano, que tem direitos da marca Legião Urbana --segundo o herdeiro, o título era de propriedade de Renato Russo. O uso da marca já foi alvo de briga judicial entre o jovem e os ex-integrantes, o guitarrista Dado Villa-Lobos e o baterista Marcelo Bonfá, mas Giuliano garante que sempre autorizou o uso "seletivo, cuidadoso e estudado" pelos músicos.

"Não se pode usar uma marca com a força e a responsabilidade da Legião Urbana, por exemplo, para vender bebidas alcoólicas, cigarros e etc. Se eu não fosse responsável e não zelasse pela obra de meu pai, estaria rico, já estariam usando músicas dele para vender de detergente à material de construção. E isso eu não aceito, não topo, não autorizo", disse. Ele garante, no entanto, ter uma boa relação com os ex-companheiros de banda do pai. "[A relação é] Respeitosa. O nome de ambos é indissociável da obra de meu pai".

Como administrador do legado de Renato Russo, Giuliano diz que apoia a nova lei dos direitos autorais que regulamenta o Ecad caso seja positivo para nossa cultura, que proteja mas não segregue a criação artística e cultural. Sobre as polêmicas biografias não autorizadas, fala que admira tudo o que foi feito sobre o pai. "Há uma realidade absoluta: o mercado consumidor é um filtro. Se não for bom, será rechaçado. Se não for honesto, se desmoraliza".

O site especial para Renato Russo faz informações sobre livros, filmes e peças teatrais baseados na vida e obra do artista, além de uma relação de intérpretes que regravaram suas canções. Biografias e a discografia da Legião Urbana e da carreira solo do cantor estarão no ar. Os fãs terão uma área voltada à colaboração para que compartilhem seus próprios materiais, como fotos e mensagens ao ídolo.

Projetos futuros
De olho no futuro, Giuliano planeja o lançamento de um CD e DVD do show feito pela Legião Urbana em 1994 no então Metropolitan (hoje Citibank Hall), em São Paulo, um dos últimos da banda. "As imagens são boas, o material é relativamente farto e de excelente qualidade. O projeto está sendo tocado, sem pressa, mas com trabalho permanente". 

Materiais inéditos do cantor também devem surgir para os fãs. "Posso garantir uma coisa: geniais como tudo o que meu pai fez. Grande parte está sob minha responsabilidade. Mas nada ficará inédito, pois a obra de Renato deve ser compartilhada com todos". É a única maneira de Giuliano revisitar a obra do pai. Como músico, ele afirmar não ousar tocar um acorde. "Seria muita pretensão e falta de desconfiômetro querer substituir meu pai. Ele é insubstituível."

Música