PUBLICIDADE
Topo

Aurea e Boss AC fazem black music com sotaque português no Rock in Rio

Leonardo Rodrigues

Do UOL, no Rio

27/09/2015 17h21

A cantora Aurea e o rapper Boss AC comandaram uma curiosa festa portuguesa neste domingo (27), último dia de Rock in Rio 2015, no Palco Sunset. Nada de fado ou batidas de pés, mas uma mistura do soul e rap produzido naquele país.

A escalação de artistas portugueses é uma constante no festival desde que ele se internacionalizou, em 2004, quando foi sediado pela primeira vez em Lisboa.

A versão lusa da black music apresentada no Rio, no entanto, traz poucas diferenças em relação à matriz norte-americana, com claras influências do R&B contemporâneo e algo de reggae. A principal mudança está nas letras, com trechos cantados no idioma de Camões.

No palco, Aurea segura na afinação, enquanto AC faz as vezes de mestre de cerimônias da festa, com rimas soltas em português.

O público, ainda pequeno no local, não parecia conhecer a fundo o repertório da dupla. Exceção feita apenas à retrô "Busy", de Aurea, incluída na trilha da novela "Amor à Vida", que levou a um pequeno coro.

"Vocês não imaginam como ficamos felizes ouvindo vocês cantando nossas músicas", disse a cantora, uma espécie de Brenda Lee do século 21, demonstrando satisfação com receptividade. A animação se repetiu na sequência, nas versões de "Don't Worry, Be Happy", de Bobby McFerrin, e "Happy", de Pharrell Williams.