Música

"Meus piores monstros estão dentro de mim mesmo", reflete Luan Santana

Reprodução
Luan Santana canta em show comemorativo dos 10 anos de carreira no Citibank Hall, em São Paulo Imagem: Reprodução

Felipe Abílio

Do UOL, em São Paulo

20/08/2017 08h25

Luan Santana comemorou os 10 anos de carreira com um show especial transmitido ao vivo pelo canal Multishow e pelas redes sociais do artista na noite deste sábado (19) no Citibank Hall, em São Paulo. O relógio marcava 22:30 em ponto quando ele entrou no palco cantando "Eu, Você, o Mar e Ela", mas a espera durou três horas, já que Luan Santana estava no espaço desde as 19:30 ansioso para o grande momento. 

"O que ficou do menino de antes para agora é só a essência porque cresci fisicamente, mentalmente, musicalmente", avalia Luan. "Existe uma segurança que a gente atinge depois de um certo tempo que é algo que faz muita diferença. Passei por cada momento desse com os dois pés no chão sabendo o que estava vivendo".

Reprodução/Instagram/@luansantana
Luan Santana se prepara no camarim para o show em que comemora seus 10 anos de carreira Imagem: Reprodução/Instagram/@luansantana

Com uma agenda de televisão para cumprir antes de subir no palco, Luan voltou para o camarim após a primeira entrada e aproveitou o tempo livre para jantar. No cardápio: comida da mamãe. "Ele também gosta bastante de culinária japonesa, então sempre tem algumas coisas quando a gente chega para o show", conta Roberval Lélis, assessor pessoal e amigo de Luan.

Luan Santana virou um dos cantores mais famosos do Brasil após estourar com a música "Meteoro", em 2009, mas o jeito atencioso e carinhoso de menino do interior é bastante visível com os fãs e toda sua equipe de trabalho.

"Foram os melhores 10 anos que alguém poderia viver. Passa tudo pela cabeça, os prêmios, as dificuldades, mas principalmente o início, quando parecia que as coisas estavam entrando no eixo e sempre acontecia algo que me derrubava e tinha que começar do zero. A primeira vez que subi no palco em Bela Vista, no interior do Mato Grosso do Sul [em 11 de agosto de 2007], abri a cortina e coloquei só o olho para ver as pessoas entrando. Tinha pouca gente, mas era uma energia incrível e a partir dali decidi que isso era o que queria para a vida".

Após uma segunda entrada ao vivo para a TV, Luan arrumou o cabelo sozinho, fez a maquiagem e aqueceu a voz por meia hora com inalação. Relembrando o início da carreira, ele diz que nunca sofreu por causa da fama, mas ainda sofre por causa da própria cobrança.

"A pressão que eu coloco em cima de mim mesmo é um fardo bem difícil de segurar. Além de pensar no amanhã, o que vou fazer na próxima música, por exemplo, penso muito a longo prazo e isso acaba comigo um pouco. Com tudo que aconteceu nesses 10 anos, os meus piores monstros estão dentro de mim mesmo".

Dono da própria carreira

Reprodução
Show de 10 anos de carreira de Luan Santana teve transmissão ao vivo Imagem: Reprodução

E se antes a única preocupação era escolher seu figurino e qual penteado usaria no cabelo, hoje Luan e seu pai, Amarildo Santana, são os responsáveis por administrar toda a marca em que seu nome se transformou.

"Antes deixava as coisas na mão das pessoas, dos empresários na época, mas de alguns anos para cá eu e meu pai estamos tomando as rédeas da situação, é uma responsabilidade grande porque tem muita coisa para resolver, mas foi a melhor coisa que eu fiz".

Com o cronômetro mostrando que o tempo para subir no palco está se esgotando, Luan escolhe um dos sete looks disponíveis para vestir, toma água e um pouco de isotônico. "Ele evita refrigerante e bebida alcoólica antes de entrar no palco", avisa Roberval.

Antes deixava as coisas na mão das pessoas, dos empresários na época, mas de alguns anos para cá eu e meu pai estamos tomando as rédeas da situação
Luan Santana

Rodando o Brasil com a turnê 1977, Luan divide a atenção no palco com toda a banda e até uma parte do público --que assiste o show em uma arquibancada que faz parte do cenário--, mas seu jeito inquieto e animado faz com o que os fãs não tirem o olho dele. Sobrevoando a plateia em cima de uma plataforma ou levando uma fã para jantar durante uma música, Luan aprendeu como atrair todas as atenções para ele.

No repertório, músicas novas, antigas e até clássicos como um meddley de "We Will Rock You" e "We Are The Champions" do Queen. Em média, Luan lança três singles de sucesso por ano, mas para ele é fácil eleger uma preferida de todos os hits.

"Acho que a primeira a gente nunca esquece, né? Foi a partir de 'Meteoro' que deixei de ser um cara comum e virei o Luan Santana".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
do UOL
UOL Entretenimento
Erratas
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Música
Música
AFP
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Blog do Matias
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
Reuters
Da Redação
Estadão Conteúdo
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
Colunas - Ricardo Feltrin
Colunas - Ricardo Feltrin
do UOL
do UOL
UOL Entretenimento
AFP
Topo