Topo

Música

MC Diguinho recua, nega machismo e se retrata por letra de música

Do UOL, em São Paulo

19/01/2018 21h56

Acusado de fazer apologia ao estupro, MC Diguinho se defendeu dizendo que jamais fez a música "Só Surubinha de Leve" com o objetivo de agredir "alguém ou as mulheres". O funkeiro afirmou que não contava com toda a repercussão, e que a ideia inicial era soltar a música apenas para a comunidade onde vive no Rio de Janeiro.  

Hit do momento nos fluxos e pancadões, "Só Surubinha de Leve" causou forte reação nas redes sociais por sugerir, no verso principal, embriagar intencionalmente uma mulher para depois estuprá-la: "Taca a bebida, depois taca a pic* e abandona na rua", dizia a letra.

"Não esperava isso que está acontecendo, essa repercussão, porque até então fiz a música para soltar na comunidade. Aí teve essa repercussão, todo mundo pensando de um jeito, cada um tendo uma interpretação. Jamais fiz uma música para agredir alguém, as mulheres", disse o funkeiro, em entrevista ao "TV Fama", nesta sexta-feira (19).

"A minha mãe me deu educação e jamais faria isso com uma mulher, até porque lá em casa eu lidou com quatro mulheres", justificou.

"Nunca fiz isso com nenhuma mulher e nem é para jogar uma mulher na rua. Quando usei essa expressão de 'abandoná-la na rua' é porque não quero nada sério com a mulher", explicou.

Apontado como autor de mensagens supostamente homofóbicas e machistas, em redes sociais, MC Diguinho também negou as novas acusações, "Não sou machista, não sou homofóbico, não sou nada disso que estão falando", garantiu ele, que prometeu ainda acionar judicialmente os autores das mensagens.

Clipe editado às pressas

Editada às pressas, MC  Diguinho lançou uma versão mais light da música: na nova letra mudam-se alguns versos que causaram revoltas nas rede sociais:

"Só uma surubinha de leve, surubinha de leve/ Com essas filha da put*/ Taca a bebida, depois taca a pic*/ E abandona na rua" virou "Só uma surubinha de leve/ Surubinha de leve/ Com essas mina maluca / Taca a bebida / Depois taca e fica / Mas não abandona na rua".

No clipe, MC Diguinho aparece ao lado de algumas mulheres em uma casa. No final, um carro deixa as meninas na rua e, logo em seguida, elas retornam para o veículo, que segue seu caminho.

O projeto foi gravado antes de toda polêmica com a música, e o recurso usado pela produtora foi de usar um efeito para "reverter" a filmagem, dando a impressão de que as garotas voltaram para o carro.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!