Topo

Música


Ator que faz Jair Rodrigues em "Elis - A Musical" dedica peça ao cantor

Gisele Alquas

Do UOL, em São Paulo

2014-05-08T22:28:52

08/05/2014 22h28

Ao mesmo momento em que é realizado o velório de Jair Rodrigues, morto nesta quinta-feira (8), o elenco de "Elis - A Musical" dedicou o espetáculo - que está em cartaz no teatro Alfa, em São Paulo - ao cantor. Emocionado, o ator que interpreta o dono do hit "Deixa Isso Pra Lá", Ícaro Silva, interrompeu a apresentação para homenagear o artista e emocionou o público.

Durante o espetáculo, o personagem de Jair Rodrigues entrou em cena ao lado de Elis Regina para fazer um pout pourri de músicas que marcaram a carreira de ambos. Ícaro arrancou aplausos por realizar com fidelidade os trejeitos de Jair e, em dado momento, parou a encenação.

"Peço desculpas, mas eu tinha que parar e dedicar o espetáculo para você Jair Rodrigues", disse, em meio às lágrimas, sendo aplaudido de pé.

No final de "Elis - A Musical", quando o elenco agradecia a presença do público, um vídeo dos bastidores do espetáculo do encontro entre Ícaro e Jair foi exibido, provocando comoção entre os presentes.

"Não há como não amá-lo"

Em comunicado enviado ao UOL mais cedo, Ícaro Silva falou sobre a emoção de homenagear o cantor. "As lágrimas são inevitáveis, mas eu sei bem que a melhor maneira de homenagear Jair Rodrigues é com um grande sorriso no rosto", escreveu. E acrescentou: "Eu o conheci pessoalmente há pouco mais de dois meses e sua vitalidade me deixou impressionado, assim como seu carisma e a espontaneidade de seus gestos. Não há como não amá-lo; sua missão era claramente essa: despertar um sorriso, tão brilhante quanto o seu, em cada um à sua volta."

Ao lado de Elis Regina, Jair Rodrigues se tornou um dos grandes nomes do samba ao participar do notório "O Fino da Bossa", programa da TV Record que foi ao ar entre 1965 e 1967.$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-foto','/2014/no-final-de-elis---a-musical-foi-exibido-um-video-do-encontro-entre-icaro-silva-e-jair-rodrigues-1399615604700.vm')

Com jeito brincalhão de malandro e voz potente, Jair ficou nacionalmente conhecido através dos duetos com a "Pimentinha". O trabalho rendeu três discos: "Dois na Bossa" nos volumes 1, 2 e 3, gravados ao vivo. Na época, foi um dos primeiros registros a atingir mais de 1 milhão de cópias.

Emocionado ao assistir o espetáculo, Jair Rodrigues chegou a aplaudir de pé o número em que Ícaro Silva e a atriz Laila Garin compartilham o microfone durante o espetáculo. Em março deste ano, a atriz ganhou um Prêmio Shell de Teatro pela atuação como Elis Regina.

Mais de 80 mil pessoas assistiram à "Elis, A Musical" no Rio de Janeiro e a peça fica em cartaz no Teatro Alfa, na zona sul da capital paulista, até o dia 13 de julho.

A morte de Jair

O cantor Jair Rodrigues morreu aos 75 anos, em sua casa em Cotia, na Grande São Paulo. Exame preliminar do IML (Instituto Médico Legal) apontou que a causa da morte foi um infarto do miocárdio. O assessor de imprensa do artista, Giuliano Spadari, afirmou ao UOL que Jair foi encontrado por funcionários da família, por volta das 10h, na sauna de sua casa.

O velório do corpo do cantor está sendo realizado na Assembleia Legislativa de São Paulo. O enterro está marcado para as 11h de sexta-feira no cemitério Gethsemani, no Morumbi.

De acordo com o produtor e cunhado do cantor, Pedro Melo, Jair Rodrigues fez um check up no hospital Oswaldo Cruz há três meses, e não apresentava problemas de saúde. Ele cumpria normalmente a agenda de shows e sua última apresentação foi na terça (6), em Minas Gerais. Indiretamente, o músico também estava "em cartaz" em São Paulo, interpretado pelo ator Ícaro Silva, em "Elis, A Musical". O elenco prepara uma homenagem a ele na apresentação desta noite.

Rodrigues deixa a mulher Clodine, dois filhos (os também cantores Luciana Mello e Jair Oliveira) e quatro netos. Parentes e amigos, entre eles o cantor Simoninha, filho de Wilson Simonal, foram à residência do cantor para confortar a família. Em mensagem em sua página no Facebook, Luciana Mello descreveu a morte como um "momento difícil e sofrido" e agradeceu o carinho recebido.

Trajetória

Natural de Igarapava, interior de São Paulo, Jair Rodrigues iniciou a carreira musical nos anos 1950. Na década seguinte, alcançou o sucesso em programas de calouros na TV. Em 1964 gravou seu disco de estreia, "Vou de Samba com Você", que já apresentava um de seus maiores sucessos, "Deixa Isso pra Lá", considerado precursor do rap. 

A interpretação de Jair ganhou dimensão que ressoa até hoje principalmente com a canção "Disparada", de Geraldo Vandré e Théo de Barros. A canção sertaneja foi sensação no Festival da Música em 1966, principalmente pelo fato de Jair ter ficado conhecido como um artista do samba. "Disparada" acabou empatada com "A Banda", de Chico Buarque.

Jair realizou turnês pela Europa, Estados Unidos e Japão. Em 1971, gravou o samba-enredo "Festa para um Rei Negro", da Acadêmicos do Salgueiro.

Carismático, Jair Rodrigues revisitou o disco "Dois na Bossa" no palco dedicado a Elis Regina na Virada Cultural de 2012, em São Paulo. Na ocasião, ele afirmou que Elis havia sido um "grande amor". Ele voltaria a relembrar da época ao assistir o espetáculo "Elis, a Musical", quando aplaudiu de pé e foi homenageado pelo público.