PUBLICIDADE
Topo

Digão e Canisso dos Raimundos rebatem críticas de Rodolfo: "Hipocrisia"

Do UOL, em São Paulo

10/06/2014 17h06

Digão, atual vocalista e guitarrista do Raimundos, rebateu nesta terça-feira (10) as declarações do ex-líder do grupo, Rodolfo Abrantes, para o site da revista "Trip", acusando-o de hipocrisia e charlatanismo. Na entrevista, publicada na segunda-feira, Rodolfo, que hoje é evangélico, disse se arrepender totalmente das antigas letras da banda. Foi o bastante para despertar a ira dos antigos integrantes do Raimundos.

O que você achou da declaração de Rodolfo sobre estar 100% arrependido das letras do Raimundos?

Resultado parcial

Total de 49713 votos
47,62%
28,31%
24,07%
Total de 49713 votos

"[Rodolfo diz estar] 100% arrependido, mas usufruindo 100% da sua parte dos direitos autorais, e que não é a 'merreca' que ele gosta de falar para os desinformados. Se ele pode se dar ao luxo de sair de casa pra 'trabalhar' e não receber nada, quem banca isso!?", questionou Digão em sua página no Facebook, afirmando em seguida que o Raimundos é a "eterna previdência privada" do ex-amigo.

Canisso, baixista do grupo, também soltou suas críticas no Twitter depois de ler a entrevista. "Uma puta contradição. A gente rala pra caralho pra manter a banda em evidência e pingar um dinheiro de direito autoral na conta do infeliz. Pro cara pagar de surfista-pastor-popstar arrependido de Camboriú. Devia ter a humildade de demonstrar agradecimento", escreveu o músico, acrescentando: "Nosso Rodolfo morreu mesmo. Triste, não conheço esse parvo aí".

28.out.1994 - Os integrantes da banda Raimundos: Rodolfo, Canisso, Fred e Digão - Adauto Perin/Folhapress - Adauto Perin/Folhapress
Rodolfo, Canisso, Fred e Digão em foto dos Raimundos tirada em 1994
Imagem: Adauto Perin/Folhapress

Rodolfo saiu do grupo de forma tumultuada em 2001, após afirmar ter se curado de uma doença no estômago. Logo em seguida, já convertido, montou o projeto Rodox e, depois, se lançou em carreira solo tocando rock gospel. Hoje, faz shows e prega em igrejas do Brasil sem cobrar cachê. Para Digão, é imperdoável o fato de o vocalista associar a banda brasiliense ao antigo vício em drogas.

"O que me cansa é essa insistência em associar o Raimundos às coisas ruins e o seu uso de pó e outras drogas pesadas em sua vida. Amparado pela verdade e Deus é minha testemunha, isso foi fora do Raimundos com as 'nega' dele!", escreveu Digão. Na entrevista, Rodolfo diz que estava cada mais junkie e fumava maconha sem parar. "Minha saúde destruída, perdendo peso, cheio de caroço espalhado pelo corpo: eu me sentia morrendo", contou ele ao site da revista.

A conversão repentina de Rodolfo ao evangelho, depois de mais de uma década à frente do grupo, também foi alvo de comentários do guitarrista. "Muito me admirei quando vi suas declarações, pois nunca tinha visto isso dentro da banda. Dizer que estava com 'câncer' e se curou na fé é no mínimo charlatanismo, pois ele nunca fez um exame para provar tal enfermidade, mas alegou que 'se conhecia'. Se pelo menos fosse formado em medicina, mas nem o Segundo Grau terminou".

Procurado pelo UOL, Rodolfo afirmou por meio da assessoria de seu ministério que "cada um dá o que tem" e que não irá comentar as críticas de Digão e Canisso. Segundo entrevista do ex-Raimundos à revista "Rolling Stone" em 2011, a última vez que ele se encontrou com os ex-colegas foi em 2007, no velório do pai em Brasília.

20 anos da música "Puteiro em João Pessoa"

  • Rizemberg/ Agência & Studio

    Primo de Rodolfo citado na música relembra a história

    Há 20 anos, quando o primeiro disco que leva o nome dos Raimundos foi lançado, virou hit em todo o país a música de abertura, que descreve a suposta iniciação sexual do ex-vocalista e então principal letrista da banda. Leia mais