Lollapalooza

Entre o metal e a coroa de flores, Lollapalooza acerta ao juntar as tribos

Alexandre Schneider/UOL
O público no show do Criolo gritou em conjunto "Fora Temer" em protesto contra o presidente Imagem: Alexandre Schneider/UOL

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

25/03/2017 23h41

Um meme que circula na internet desde a escalação do Lollapalooza Brasil 2017 mostra James Hetfield com uma coroa de flores para anunciar o festival. A piada com a mistura de gêneros fazia crer que o Metallica seria engolido pelo evento, sempre colorido, jovem e afeito a tendências. Mas perdeu quem apostava que a banda seria abandonada pelos headbangers no evento, que a cada ano rejuvenesce seu público e suas atrações.

Os metaleiros chegaram cedo neste sábado (25) de sol a pino no Autódromo de Interlagos de São Paulo, tanto na fila, para um churrasco improvisado, quanto nos shows de atrações mais pop. Até mesmo no palco Perry’s, dedicado à música eletrônica, os headbangers colaram.

Como prova do intercâmbio sonoro, o coro sempre efetivo e apaixonado dos "camisas pretas" na grade do palco Skol não afastou um ou outro espectador com tiara de unicórnio na plateia dos decanos do metal, mostrando que a tática de reunir estilos e tribos diferentes no festival não apenas foi um acerto, como deu ao Lollapalooza uma das edições mais diversificadas e divertidas.

Sem a coroa de flores, o vocalista James Hetfield entendeu o recado e abraçou o mar de gente à sua frente: "Não importa de onde você veio e quem você veio ver. Agora vocês fazem parte da família do Metallica. Bem-vindos", saudou.

Servido de um som poderoso, o Metallica arrebatou uma considerável parte dos cem mil espectadores, que lotaram o Autódromo de Interlagos nesta primeira noite de festival --na edição de 2016 foram 160 mil em todo final de semana.

Só não lotou o palco Skol porque concorreu diretamente com o The Chainsmokers, que transformou o palco Axe em uma balada top, com seus hits que infestam atualmente as pistas de dança.

Entraves e confluências

A lotação rendeu problemas nas filas intermináveis das bebidas e um entrave nas passagens de um palco para o outro, mas não se pode dizer o mesmo quanto a confluências entre as tribos.

Tão hit quanto as coroas de flores do público pop, as camisetas do Metallica foram vistos em praticamente em todas as outras apresentações. Da batida do axé anabolizado do BaianaSystem à introspecção das canções do trio britânico The xx.

Seja na balada, no eletrônico, no pop ou no metal, cada qual curtiu sua onda com a mesma dedicação religiosa, com uma curiosidade na crença alheia. E o festival deu um passo importante para se tornar um evento mais ecumênico e democrático.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Música
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
Música
UOL Música
do UOL
do UOL
do UOL
TV e Famosos
UOL Música - Imagens
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
UOL Música - Imagens
UOL Música - Imagens
do UOL
do UOL
TV e Famosos
do UOL
do UOL
TV e Famosos
UOL Música - Imagens
Topo