Música

Escritor terá de apagar comentários que associam Caetano Veloso à pedofilia

Reprodução
O escritor Flavio Azambuja Martins, conhecido como Flavio Morgenstern Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

14/11/2017 21h38

A Justiça do Rio determinou nesta terça-feira (14) que o escritor Flavio Azambuja Martins, apontado como criador e disseminador da hashtag #caetanopedofilo, terá de apagar mensagens injuriosas postadas contra o cantor Caetano Veloso em sites como Facebook e Twitter.

Na decisão, a juíza Flavia Goncalves Moraes Alves, da 14ª Vara Cível da capital fluminense, define que, após ser notificado, Martins terá 48 horas para retirar do ar comentários e mensagens injuriosas. Caso descumpra a determinação, precisará pagar multa de R$ 300 por dia.

“Analisando os elementos trazidos aos autos, bem como as mensagens e palavras descritas na documentação acostada na inicial, não resta dúvida acerca da natureza difamatória e ofensiva destas, podendo acarretar ao autor consequências irreparáveis no que tange à sua imagem e ao seu nome”, escreve a juíza, que designou uma audiência de conciliação entre as partes agendada para o dia 24 de janeiro.

Na ação, movida no último dia 3, Caetano e a mulher Paula Lavigne pedem indenização por danos morais e a retirada de conteúdo que associa o relacionamento do casal à pedofilia. No fim do mês passado, a Justiça já havia determinado que o MBL e o ator Alexandre Frota deveriam apagar conteúdos com o mesmo teor difamatório.

A atriz e produtora comemorou a nova decisão na internet. "As pessoas estão confundindo a liberdade de expressão com abuso. Que ofender não é liberdade de expressão, e comparar uma coisa com a outra é tentar desvirtuar esse direito. E que essa vai ser a medida para todos que usarem dos meios de comunicação para ofender", postou no Twitter.

O UOL procurou Flavio Martins para comentar o caso, mas não obteve retorno até a publicação deste texto.

Acusações de pedofilia

Em outubro, perfis ligados ao MBL (Movimento Brasil Livre) e a outros grupos de direita passaram a acusar Caetano de pedófilo após recuperarem uma entrevista concedida por Paula à revista "Playboy" em que ela afirma ter perdido a virgindade com o marido aos 13 anos.

As acusações vieram na esteira da polêmica performance "La Bête", no MAM (Museu de Arte Moderna), em que o artista Wagner Schwartz permitiu que crianças, sob supervisão de responsável, interagissem com seu corpo nu.

Flavio Azambuja Martins, que assina Flavio Morgenstern, tem mais de 50 mil seguidores no Twitter e mais de 66 mil no Facebook. Analista político e também tradutor, ele é autor de um livro sobre as manifestações de junho de 2013 (“Por Trás da Máscara”) e é considerado uma figura influente na nova direita brasileira.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
UOL Música
do UOL
do UOL
Chico Barney
Música
AFP
Reuters
Da Redação
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Blog do Barcinski
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
TV e Famosos
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
AFP
Adriana de Barros
Topo