Música

Família de metaleiro morto no Brasil faz "vaquinha" para translado do corpo

Divulgação
Warrel Dane, ao centro Imagem: Divulgação

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

19/12/2017 07h01

A família de Warrel Dane, ex-vocalista das bandas Nevermore e Sanctuary, que morreu na última semana em São Paulo, está organizando uma vaquinha virtual e pedindo doações para que o corpo do norte-americano tenha translado para seu país natal.

Dane morreu na madrugada da última quinta-feira, quando sofreu um ataque cardíaco e não resistiu . Ele estava no Brasil para a gravação de seu segundo álbum solo, intitulado “Shadow Work”, com quatro instrumentistas brasileiros.

O guitarrista Johnny Moraes, que participa do álbum, estava com Dane quando ele se sentiu mal. “A família não tem como bancar o translado do corpo para os Estados Unidos, então, a família e os amigos fizeram este crowdfunding, explicou Johnny. Dane levava uma vida simples e passava longos meses no Brasil, quando fazia turnês com sua banda de brasileiros e agora, na gravação do novo disco.

Veja também

Na descrição da vaquinha virtual, a mensagem é de homenagem e ajuda. “Em nome de amigos e família, nós traremos Warrel de volta ao lar, em Seattle. Warrel tinha uma voz única. Seu sorriso, sua energia e seu incrível coração ficarão nas nossas memórias. Ele significava muito para muitas pessoas. (...) A notícia foi inesperada, e os custos de trazê-lo para casa e para um serviço de funeral em sua homenagem são elevados. Neste momento, este dinheiro é inviável, e esse fundo será usado para sua família bancar os custos do transporte do corpo e de seu enterro.”

Ainda antes de completar um dia de sua criação, o financiamento coletivo ultrapassou a soma pedida, com mais de US$ 6 mil - a meta inicial era de US$ 5 mil. Membros da família virão ao Brasil para cuidar da burocracia.

Johnny Moraes relatou ao UOL, no dia da morte, que Dane sofria com problemas de saúde. “A saúde dele já estava bem debilitada, por conta das diabetes e os problemas que ele teve de alcoolismo. Ele já enfrentava muitos problemas de saúde.”

Dane estava num flat, quando passou mal. “Ele morreu nesta noite, teve um infarto. Estava no flat onde se hospedou para a gravação do disco, quando aconteceu. Eu cheguei a fazer massagem cardíaca, chamamos o Samu, que chegou bem rápido, mas quando eles chegaram, ele já tinha morrido”, lamentou Johnny, no dia da morte.

O álbum “Shadow Work” já tinha parte dos vocais de Dane gravados, mas não chegou a ser concluído. Moraes e seus companheiros de banda ainda decidirão o que fazer com o material, para que ele seja revelado aos fãs, mas dependem da gravadora para saberem em que formato as últimas músicas de Dane poderão ser lançadas.

A vaquinha virtual se encontra neste link: https://www.gofundme.com/warrel-dane

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
EFE
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo