Topo

Música

"Apesar das brigas, éramos amigos", diz Champignon sobre Chorão; veja repercussão

Do UOL, em São Paulo

06/03/2013 07h49Atualizada em 06/03/2013 22h18

Champignon, baixista da banda Charlie Brown Jr., esteve no apartamento onde Chorão foi encontrado morto na manhã desta quarta-feira (6), no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O músico disse que, apesar das desavenças, ele e Chorão eram amigos. "A gente tinha uma relação profissional. Apesar das muitas brigas, éramos amigos há mais de 20 anos", falou. Aos jornalistas, o baixista disse que não iria comentar a possibilidade de overdose de drogas.

Em 2012, Chorão e Champignon tiveram uma discussão durante um show em Apucarana (PR). Na ocasião, o baixista chegou a deixar o palco, após receber duras críticas do cantor. Poucos dias depois, eles fizeram as pazes. Champignon havia deixado a banda em 2005, mas retornou em 2011.

Johnny Araújo responsável por dirigir o filme "O Magnata" (2007), escrito por Chorão, lamentou a morte precoce do músico e disse, ao UOL, que o amigo teve um papel fundamental em sua carreira.

"O Chorão era intenso, polêmico, muito especial. Ele tinha uma atitude rock and roll. Era polêmico por ser verdadeiro, amava música e sabia o que queria. Era preciso ter sensibilidade para entender o jeito dele", afirmou 

O que mais deixou o diretor triste foi ter perdido um colega de sua geração. "O Chorão foi muito importante na minha vida. Era um artista que trazia muitas ideias, era muito inteligente, sensível. Desde 2008, a gente não se falava e é triste acabar assim. Demorou a cair a ficha, é muito maluco...Era um cara muito novo, dói muito".

Responsável por lançar o Charlie Brown Jr no mercado, o produtor musical Rick Bonadio citou, ao UOL, características marcantes do músico. "Chorão era um cara diferenciado, ele conseguia falar diretamente com a molequeada. Era um cara jovem por dentro, tinha essa rebeldia que o cara novo gosta".

Bastante emocionada, a cantora Negra Li disse ao UOL que Chorão foi responsável pela "oportunidade de sua vida". "Foi ele que me apadrinhou na carreira musical, que deu a grande oportunidade da minha vida. O Chorão era uma pessoa generosa. Gostava de ajudar quem estava começando. Não importava se era músico, skatista, ator... Ele sempre foi muito doce, muito respeitoso comigo".

"O Chorão foi um ícone da geração de 90. Ele deixa um legado de bons discos, além do reconhecimento da parceria skate e rock brasileiro. Ele era uma figura muito forte na cena musical. Sempre tivemos ótimos contatos. Triste ver um cara jovem morrer assim", disse ao UOL, o ex-vocalista do Ira!, Nasi.

A banda ConeCrew, que se apresentaria com o Charlie Brown Jr no dia 22 de março em Campo Grande, no Rio de Janeiro, ficou chocada com a morte do músico e pretende homenageá-lo. "A gente era fã do Charlie Brown desde adolescência. Nos apresentamos no Planeta Atlântida em 2012, conhecemos  todos os integrantes da banda, menos o Chorão. Estávamos ansiosos para encontrá-lo, afinal ele era uma das nossas maiores referências. O Chorão falava para os jovens. Era uma junção de rock e skate. A gente se identificava como pessoa e não só musicalmente. Vai deixar saudades. O Chorão está no patamar de Tim Maia, Cazuza. Caras que marcaram a história”, disse ao UOL o músico Rany Money.

O apresentador Luciano Huck e outros famosos também lamentaram a morte do Chorão. "Caramba...o Chorão morreu! Muito triste! Gostava muito dele! Bom coração! Poeta! Gente boa! Despejo todo meu carinho na familia! Uma perda!", escreveu Huck, em seu Twitter.

O apresentador Daniel Peixoto, o "Alfinete" do "Pânico" esteve no local e lamentou a morte do colega. "Encontrava com ele de vez em quando e o cara demonstrava ser parceiro, sempre ia na Jovem Pan. Vai fazer uma puta falta". 

O Chorão está no patamar de Tim, Cazuza. Caras que marcaram a história

disse ao UOL o músico Rany Money da banda ConeCrew

A diretoria do Santos Futebol Clube, time para o qual Chorão torcia, divulgou uma nota de pesar. "O Santos FC lamenta o falecimento de Alexandre Magno Abrão, o Chorão, um de seus torcedores mais fanáticos e um grande parceiro do Clube. Chorão e sua banda, a Charlie Brown Junior, tocaram em momentos importantes de nossa história recente. O Clube e a nação santista manifestam toda a solidariedade aos familiares e amigos deste grande santista, que nunca será esquecido pelos que conviveram ou apreciaram sua obra".

O Santos F.C também fez um vídeo em homenagem a Chorão, "Eternamente Menino da Vila", que traz imagens dos shows que o Charlie Brown Júnior fez na Vila. Em fevereiro de 2010, a banda abriu a apresentação que marcou o retorno do craque Robinho ao Peixe; em março de 2012, fez o show principal do Navio do Centenário.



Veja mais declarações de famosos sobre a morte:

"A todos os fãs, amigos e familiares do Chorão, meus sentimentos. Orando pra que Deus conforte seus corações" - Rodolfo Abrantes, ex-vocalista do Raimundos, via Twitter.

"O Chorão era um cara de coração gigante. Tinha os momentos dele, mas sempre teve um coração bom. Eu gostava muito dele. Ele era meu irmão. Na última vez que nos encontramos tínhamos combinado de compor algo juntos. Estou muito triste. Um cara que vai fazer muita falta pro rock brasileiro. Vai ser difícil alguém preencher esta lacuna. Uma das maiores perdas que eu já vivi" - Digão, da banda Raimundos, por telefone". 

"Nossa, o Chorão morreu. Que dia triste. Não posso acreditar que estou escrevendo esse texto. O Chorão! Não é possível. Como é possível? Que tristeza. Por que isso acontece com o rock? Renato, Cássia, Cazuza e agora Chorão. Caraca! Parece que são os melhores. Putz, que dia triste. Eu queria poder abraçar o Champignon e o Thiago agora. Também mando minhas condolências à família dele. Estou pasmo. Continuo achando surreal. Que pena..Quantas e quantas vezes nós tocamos juntos. Não sei nem dizer quantas. Mas foi sempre divertido. Nossa que dor no coração" - Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital Inicial, via Twitter.

"Estou em Recife e fiquei sabendo da notícia no meio de uma sessão de fotos. Estou um pouco anestesiada neste momento. Convidei o Chorão para participar do meu DVD em outubro do ano passado por ser muito fã dele. É uma perda muito grande para o país, para a nossa cultura pop. Ele foi muito cedo, mas deixou uma marca linda no Brasil. Por tudo o que falava, ele foi um dos maiores talentos na minha opinião. Ele era muito verdadeiro como artista" - Marina Elali, cantora, por telefone.

"Muita tristeza. Ninguém esperava isto e foi uma notícia muito chocante. Estou muito triste por ter conhecido o Chorão. Ele sempre acolheu a gente. Ele tinha um grande coração. A gente tem um DVD do Planta que ele participou. Foi uma parada louca porque na gravação a gente cantou e no momento que a música acabava ele entrou com a partipação. Foi uma parada espiritual" - Zeider, vocalista do Planta e Raiz, por telefone.

"Hoje fui surpeendido com a morte do amigo Chorão: grande músico, multimídia, uma cara irreverente, que falou e cantou o que quis e como quis. Fiquei muito abalado, chateado, triste com a noticia. Eu me identificava muito com ele, era fã da banda e dele. Estivemos várias vezes juntos nos camarins. Na verdade, estou chocado, e mais ainda, puto por terem deixado vazar as fotos do apartamento dele. Independente disso, força à familia, amigos e fãs. Chorão, o Coro Vai Comer aí, onde quer que vc esteja, my Brother, e nós vamos Brindar a vida por vc aqui, fique em paz" - Alexandre Frota, ator, via comunicado.

"Ainda estou em estado de choque com a notícia que um dos caras mais importantes do rock nacional não tenha despertado esta manhã. Meu coração acelerado mal me permite teclar para compartilhar com os amigos, familiares e fãs a dor da partida de Chorão. Sempre tive uma grande admiração por este cara! O Detonautas nunca negou que no início de sua carreira,em 1997, se inspirou, entre outras bandas de rock nacional, no CBJR. Nos encontramos e fizemos muitos shows juntos. Ainda acho que alguém vai dizer que é mentira!!!! Chorão, seu legado será eterno. Sem palavras" - Tico Santa Cruz, vocalista do Detonautas, via Facebook.

"Chorão era uma pessoa muito amável em certos momentos, mas podia ser um total escroto em outros. Avento que tinha um transtorno bipolar sério, e que talvez nunca tenha tratado. Aliás, isso era até instrumento usado no tratar com a mídia. Falar com o cara sobre skate e sobre música era deixar o bicho feliz, com um brilho nos olhos. Falar sobre negócios era por vezes deixá-lo com sangue nos olhos. Nos primeiros discos da carreira, ele tinha uma relação de amor e ódio com Rick Bonadio e o resto da Virgin. Eu, por algum motivo, era excluído disso e ele sempre se fechava na minha sala para pedir conselhos ou só bater papo e ouvir uns discos" - José Julio Espírito Santo, Gerente de Imprensa da Virgin em 1997, ano que a banda lançou seu primeiro disco "Transpiração Contínua Prolongada".

"E a gente se pergunta por que a vida é assim?" Vai com Deus, primo! Nosso amor estará sempre com você. Chorão Forever!" - Sonia Abrão, apresentadora e prima do vocalista do Chalie Brown Jr., via Twitter.

"Eu não era muito amigo do Chorão. Conheci ele no velório do seu Abrão, pai da [apresentadora] Sônia [Abrão], de quem sou amigo há 28 anos. Sempre fui muito fã do trabalho dele. Eu já tive crise de depressão em que cortei o pescoço e não me lembro de nada. Independentemente se [a morte foi provocada] for por drogas, foi uma grande perda para o cenário musical" - Rafael Ilha, ex-Polegar, em Santos, ao UOL.

"Um cara que inovou no estilo de cantar trazendo na poesia a malandragem de Santos com esperança e amor. Vai fazer falta. Fiquei muito, muito triste" - Supla, cantor, por telefone.

"Descanse em paz Chorão . LUTO" - Robinho, jogador de futebol, via Twitter.

"Soube da morte do Chorão e lamento muito! Jovem, querido por legião de fãs. À família, amigos, fãs escrevo esta mensagem para desejar que tenham forças nesta hora tão difícil." - Marta Suplicy, Ministra de Estado da Cultura, via comunicado.

"Bom dia, amados! Com tristeza, acordamos sem o Chorão! Mais um talento faz a travessia na ponte da vida" - Elba Ramalho, cantora, via Twitter.

"Dias de Lutas, Dias de glórias" .. Descanse em Paz" - Neymar, jogador de futebol, via Twitter

"É triste esta notícia da morte do Chorão, tão jovem,apenas 40 anos !!! Foi-se mais grande mano !!! Deus abençoe a família !" - Buchecha, cantor, via Twitter.

"Desde "Transpiração Contínua Prolongada"... hoje são meus filhos que curtem você, Chorão (eu disse isso a ele)." - Carla Vilhena, jornalista, via Twitter.

"Não acredito que Chorão morreu!?!? No nosso ultimo encontro ele estava muito feliz com o retorno da banda" - Geovanna Tominaga, apresentadora, via Twitter.

‏"Chorão..... RIP ... Mas ainda to com esperança de ser mentira"  - Alinne Rosa, cantora, via Twitter.

"Eu e o Alê (marido da apresentadora) ficamos muito tristes com a notícia da morte do Chorão. O Alê e o Chorão se conheciam desde meninos. Desejamos a toda a família, amigos e fãs do Chorão força e todo nosso carinho neste momento triste. Agora temos mais uma estrelinha no céu" - Ana Hickmann, apresentadora, via Twitter.

"Gente não sei o que dizer,só consigo chorar..." - Negra Li, cantora, via Twitter.

"Nossa, acordar com uma notícia dessa dá uma dor no coração! Chorão fez parte da minha história quando sua música era tema de 'Malhação'! Que perda. Eu era fã! Que ele descanse em paz e sua família esteja amparada!" - Samara Felippo, atriz, via Twitter.

"É muito triste! Uma pessoa tão admirada com tantos fãs e seguidores, morrer assim tão novo, sozinho e nessa situação" - Lívia Andrade, atriz, via Twitter.

"Minha alegria à parte, fico chateada com a morte do Chorão. Sempre me preoupo com os filhos, com a mãe do cara...Tudo muito forte" - Astrid Fontenelle, apresentadora, via Twitter

Morte
Chorão foi encontrado morto na madrugada desta quarta (6) em seu apartamento, que fica no oitavo andar de um prédio no bairro de Pinheiros, em São Paulo.

As circunstâncias da morte estão sob investigação do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). Segundo o delegado Itagiba Franco, da Polícia Divisionária do Departamento de Homicídios, o motorista e o segurança do músico chamaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) por volta das 4h30 desta quarta.

A equipe de socorro encontrou o corpo do músico de bruços no chão da cozinha, com as mãos machucadas e já sem vida, sozinho em casa. O apartamento estava revirado, sujo e havia bastante vestígio de sangue.

Bebidas e pó branco também foram encontrados no local, mas o delegado não confirmou se era droga.

Em imagens feitas durante a perícia da Polícia no apartamento de Chorão, às quais o UOL teve acesso, o corpo do músico estava cercado por lascas que aparentam ser parte do enchimento de um saco de pancadas de boxe.

A lateral do abdome do corpo apresentava hematomas, e metade do rosto estava deteriorada e coberta por sangue. O dedo mínimo da mão direita também aparentava estar quebrado. No balcão da cozinha, próximo ao corpo, havia uma pequena quantidade de pó branco em cima de um catálogo de filme pornô, ao lado de um canudo feito com uma folha de cheque.

O exame toxicológico, que vai apontar evidências de cocaína ou outras substâncias no corpo de Chorão, será divulgado em duas semanas. Itagiba revelou ainda que foram encontrados, na casa, frascos do ansiolítico Lexotan e uma pasta de dentes usada para adormecer a gengiva --Chorão costumava morder a boca quando estava ansioso.

De acordo com Itagiba, Chorão estava morto desde, pelo menos, o meio-dia de terça-feira. O delegado contou que, na última semana, Chorão se hospedou em quatro hotéis diferentes da capital paulista. Na última hospedagem, ele se desentendeu com funcionários do local.

O delegado afirmou ainda que Chorão acreditava que estava sendo perseguido. "Ele chegava em casa quebrando tudo, por isso a bagunça [no apartamento]”.

Para o delegado, a hipótese de suicídio deve ser descartada. "Chorão tinha planos, não tinha esse perfil", contou o delegado. Ele acredita que o caso foi uma fatalidade e relacionar com overdose de drogas, neste momento, também seria "leviano".

De acordo com uma amiga da família de Chorão, ele vivia uma "forte recaída" no vício em cocaína e teria se negado a procurar tratamento contra a dependência. Segundo a fonte ouvida pelo UOL, o cantor era viciado em cocaína há anos e intercalava períodos de sobriedade com recaídas.

Velório e enterro
Sob aplausos calorosos dos fãs, o corpo do cantor Chorão chegou na Arena Santos em uma limusine branca, às 21h52 desta quarta, para ser velado. O corpo saiu do IML de São Paulo às 16h57. Por causa de um comboio na rodovia dos Imigrantes provocado por uma forte neblina e chuva, a chegada do corpo do vocalista do Charlie Brown Jr., que estava marcada para às 20h, se atrasou.

Na Arena Santos os fãs faziam fila para se despedir desde a tarde desta quarta. O espaço tem capacidade para 5 mil pessoas, segundo informações da Prefeitura de Santos, e a cerimônia será aberta ao público até as 15h de quinta.

De acordo com informações da empresária do grupo Charlie Brown Jr., Samantha Jesus, o sepultamento vai acontecer nesta quinta, às 17h, no Cemitério Memorial, em Santos. 

O corpo do cantor Chorão será vestido para o velório com um calça bege e camisa preta com símbolo da banda Charlie Brown Jr., da qual era vocalista. Quem escolheu a roupa para a celebração foi o irmão do cantor, Ricardo Abrão.

O desejo do cantor de ter o corpo cremado só poderá ser realizado após liberação pela polícia. A mãe do cantor, que sofreu um AVC recentemente, ainda não sabe da morte porque não encontraram maneira de informá-la.

Enquanto familiares esperavam a liberação do corpo de Chorão no IML de São Paulo, sua ex-mulher, Graziela Gonçalves, e o irmão do cantor, Ricardo Abrão, discutiram e chegaram a trocar empurrões.


Biografia
Alexandre Magno Abrão, o Chorão, formou a banda Charlie Brown Jr. na cidade de Santos, no litoral de São Paulo, na década de 1990. Ele era o único integrante que permaneceu durante todas as fases do grupo, lançando nove discos de estúdio, dois álbuns ao vivo e duas coletâneas. O grupo vendeu mais de 5 milhões de discos e, em 2009, ganhou um Grammy Latino com o álbum "Camisa 10 Joga Bola Até na Chuva".

O último registro da banda é o disco ao vivo "Música Popular Caiçara", que saiu no ano passado e marcou a volta dos integrantes Marcão e Champignon à banda, que haviam deixado o grupo em 2005. A banda estava de férias e o retorno seria durante um show no próximo dia 22 em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Um show no Credicard Hall, no dia 6 abril, em São Paulo também já estava marcado. Em nota, a produtora de SP disse que divulgará em breve informações sobre o reembolso.

A vida pública de Chorão foi marcada por uma série de desentendimentos entre os integrantes da banda e entre outros músicos, como a briga com Marcelo Camelo, integrante do Los Hermanos, em 2007. Chorão agrediu o cantor na sala de desembarque do Aeroporto de Fortaleza e foi detido pela Polícia Federal.

Além de músicas, Chorão também escreveu roteiros, como do filme "O Magnata" (2007), dirigido por Johnny Araújo, e do longa "O Cobrador", que ainda está em produção. Ele também era dono do Chorão Skate Park, em Santos, uma pista de skate indoor.

Casado há 15 anos com a estilista Graziela Gonçalves, Chorão havia se separado dela em meados de novembro de 2012, mas o casal ainda não tinham oficializado o divórcio. Ele deixa um filho, Alexandre, de 23 anos, fruto da relação com sua primeira mulher, Thais Lima.