Topo

Música

Gravadora irá relançar primeiros álbuns do Charlie Brown Jr

Reprodução
"Transpiração Contínua Prolongada" foi o primeiro álbum lançado pelo Charlie Brown Jr., em 1997 Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

12/03/2013 12h29

Em homenagem póstuma a Chorão, encontrado morto na semana passada em sua casa, os dois primeiros discos do Charlie Brown Jr. serão reeditados e um álbum inédito da banda será lançado ainda este semestre.

Os discos de estreia do grupo, "Transpiração Contínua Prolongada" (1997) e "Preço Curto...Prazo Longo" (1999), chegarão às lojas em abril, segundo informou ao UOL a assessoria de imprensa da gravadora EMI.

O primeiro álbum foi produzido por Rick Bonadio e Tadeu Patola. Vendeu mais de 500 mil cópias na época e lançou hits como "O Coro Vai Comê!", "Gimme o Anel", "Tudo o que Ela Gosta de Escutar" e "Proibida pra Mim (Grazon)", esta última inspirada na então namorada Graziela Gonçalves. Em 1998, o sucesso do Charlie Brown Jr foi confirmado quando a banda recebeu o prêmio de banda revelação no VMB, premiação da MTV.

Do segundo álbum, que vendeu 460 mil cópias, saíram  hits como "Zóio de Lula", "Confisco", "Não Deixe o Mar Te Engolir" e "Te Levar", que se tornou o tema de abertura de "Malhação" em 1999. 

Novo álbum
Um novo álbum do Charlie Brown Jr, com músicas inéditas, está previsto para ser lançado ainda neste semestre pela Radar Records, mesma gravadora que lançou "Música Popular Caiçara", disco de 2011 do Charlie Brown Jr.

"A gente já estava pronto para lançar o álbum novo. Foi o que o Chorão deixou, além do legado, o último disco em que ele cantou", disse o baixista Champignon.

Luis Parra, diretor comercial da Radar Records, confirmou ao UOL que o álbum será lançado o mais breve possível, mas que a banda ainda está acertando os útlimos detalhes antes de divulgar o lançamento.

No dia 28 de fevereiro, Chorão fez uma visita surpresa ao estúdio da rádio UOL 89FM, em São Paulo. Durante o programa "Quem Não Faz, Toma", o cantor levou uma música inédita, intitulada "Meu Novo Mundo", que vai integrar o álbum novo, ainda sem título.


O futuro do Charlie Brown Jr ainda é incerto. Em entrevista na saída do sepultamento de Chorão, em Santos, Champignon, disse ao UOL que "ainda é cedo para decidir qualquer coisa, ainda vamos conversar. Mas não temos como continuar sem ele". A assessoria da banda também não se pronuncia sobre se a banda continuará ou não em atividade.

Investigações

O corpo de Chorão foi sepultado na tarde do dia 7 no cemitério Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos. A família ainda decidirá se o corpo será cremado, conforme desejo do cantor, mas a ação só poderá ser realizada após liberação pela polícia.

A ida de Graziela ao velório causou tensão no local. Pouco antes de sua chegada, a irmã de Chorão, Tania Wilma Abrão, dizia aos gritos que a viúva era a culpada pela morte de seu irmão. A família acredita que a separação foi a responsável pela depressão que levou Chorão a morte.

Fontes próximas a Graziela dizem, no entanto, que foram as drogas que levaram Chorão à morte, e não a separação. Uma amiga da família contou que o apartamento do cantor seria o reduto do cantor para o consumo de drogas, o que incomodava Graziela, casada com Chorão havia 15 anos. Eles estavam separados desde o final de 2012, mas ainda não tinham oficializado o divórcio.

Biografia

Chorão -- batizado de Alexandre Magno Abrão -- formou a banda Charlie Brown Jr. na cidade de Santos, no litoral de São Paulo, na década de 1990. Ele era o único integrante que permaneceu durante todas as fases do grupo, lançando nove discos de estúdio, dois álbuns ao vivo e duas coletâneas. O grupo vendeu mais de 5 milhões de discos e, em 2009, ganhou um Grammy Latino com o álbum "Camisa 10 Joga Bola Até na Chuva".

O último registro da banda é o disco ao vivo "Música Popular Caiçara", que saiu no ano passado e marcou a volta dos integrantes Marcão e Champignon à banda, que haviam deixado o grupo em 2005. A banda estava de férias e o retorno seria durante um show no próximo dia 22 em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Um show no Credicard Hall, no dia 6 abril, em São Paulo também já estava marcado.

A vida pública de Chorão foi marcada por uma série de desentendimentos entre os integrantes da banda e com outros músicos, como a conhecida briga com Marcelo Camelo, integrante do Los Hermanos, em 2007. Chorão agrediu o cantor na sala de desembarque do Aeroporto de Fortaleza e foi detido pela Polícia Federal.

Além da carreira musical, Chorão também escreveu roteiros, como do filme "O Magnata" (2007), dirigido por Johnny Araújo, e do longa "O Cobrador", que ainda está em produção. Ele também era dono do Chorão Skate Park, em Santos, uma pista de skate indoor.

Casado há 15 anos com a estilista Graziela Gonçalves, Chorão havia se separado dela em meados de novembro de 2012, mas o casal ainda não tinham oficializado o divórcio. Ele deixa um filho, Alexandre, de 23 anos, fruto da relação com sua primeira mulher, Thais Lima.