Música

As tretas da música que torcemos para que fiquem enterradas em 2017

Arte UOL
As tretas da música de 2017 Imagem: Arte UOL

Do UOL, em São Paulo

28/12/2017 04h00

2017 ficou marcado por muitos shows e lançamentos bacanas. Mas, claro, ninguém é imune a uma treta no mundo da música. Teve de tudo um pouco: acusação de cópia de coreografia, de plágio, parcerias que não deram muito certo, problema com direitos autorais e até reclamação de uma nota alterada. 

Em clima de Ano Novo e renovação, nosso desejo para 2018 é que tudo isso se resolva ou fique enterrado no passado. Mas já que o ano ainda não acabou, não custa nada lembrar algumas das alfinetadas dos últimos 12 meses.

É treta!

  • Imagem: Arte UOL
    Arte UOL
    Imagem: Arte UOL

    Anitta x Iggy Azalea

    Tudo começou com um feat que parecia ser o grande pontapé inicial da carreira internacional de Anitta. Mas não foi bem assim, O lançamento de "Switch", parceria da cantora brasileira com a rapper australiana Iggy Azalea, foi marcado por várias tretas. Primeiro, a música vazou antes da hora e os fãs acharam ruim a participação curta de Anitta. Depois, o clipe que elas fizeram também vazou em uma versão não finalizada, o que deixou Iggy bastante irritada. Houve um momento de glória, quando Anitta apareceu no palco de Jimmy Falon, um dos principais programas da TV americana, para cantar com Iggy. Mas até isso rendeu polêmica, já que Anitta ficou poucos segundos no palco e sumiu. Fato é que o clipe nunca foi lançado, Iggy acabou deletando todas as fotos dela com Anitta, e ainda se juntou com Maluma, outro desafeto da brasileira em 2017. Com tanta coisa que aconteceu na carreira de Anitta, a treta tinha ficado esquecida em maio, mas voltou à tona neste Natal quando a produtora liberou o clipe. O vídeo, porém, logo saiu do ar. De novo. Leia mais

  • Imagem: Arte UOL
    Arte UOL
    Imagem: Arte UOL

    Anitta x Maluma

    Mais uma treta que nunca foi esclarecida por nenhuma das partes, mas que claramente aconteceu. Os parceiros no hit "Sim ou Não" se apresentaram juntos em maio no Brasil e eram só elogios um ao outro. Rolou até um selinho no show do Rio. Mas a coisa azedou rápido. Anitta lançou "Paradinha" um pouco depois da visita do amigo colombiano ao Brasil, só que acabou ignorada por ele durante uma premiação no México para divulgar seu primeiro single em espanhol. Depois disso um parou de seguir o outro nas redes sociais, além de várias indiretas sem citar nomes. Os dois não apareceram mais juntos mesmo com Maluma voltando duas vezes ao Brasil. Quer mais? Anitta investiu em uma parceria de sucesso com outro cantor colombiano, J Balvin, enquanto Maluma chamou Nego do Borel para fazer uma versão em espanhol de "Você Partiu Meu Coração", música em que ele divide os vocais adivinha com quem? Anitta. Com vários sucessos lançados desde toda a treta com o colombiano, Anitta ainda aproveitou para mandar uma boa indireta em uma brincadeira em vídeo que participou quando foi entrevistada pela Billboard americana. Desafiada a eliminar uma opção entre "Despacito", "Felices Los 4" e "Mi Gente", a cantora foi direto no hit de Maluma. "'Despacito' e 'Mi Gente' chegaram ao nº 1 em vários países", comentou. Leia mais

  • Imagem: Arte UOL
    Arte UOL
    Imagem: Arte UOL

    Pabllo Vittar x Rico Dalasam

    "Todo Dia" foi um dos hits do Carnaval 2017 com o marcante refrão "eu não espero o Carnaval chegar pra ser vadia, sou todo dia". Mas a música acabou perdendo força depois que o clipe com Pabllo Vittar e Rico Dalasam saiu do ar com 50 milhões de visualizações no YouTube. Na época, o rapper afirmou que a confusão era "apenas uma questão entre os advogados e que não tem problema algum com Pablo Vittar, que 'só nos enche de orgulho e vontade de viver'". Acontece que 2018 está quase aí e o clipe ainda não voltou ao ar. A demora pode ter uma explicação. Além da drag queen e do rapper, a briga por direitos autorais ainda envolve outros dois nomes: os coautores Rodrigo Gorky e Arthur Gomes (Maffalda), que criaram o instrumental (bases). Leia mais

  • Imagem: Arte UOL
    Arte UOL
    Imagem: Arte UOL

    Fernanda Abreu x Ludmilla

    Fernanda Abreu fez uma das apresentações esteticamente mais bonitas do Rock in Rio, em setembro. A cantora, que também é bailarina, levou a Focus Companhia de Dança para o palco e deu show nas coreografias. Porém, a performance de Ludmilla no Prêmio Multishow cerca de um mês depois do Rock in Rio chamou a atenção de Fernanda Abreu, que acabou "agradecendo" publicamente a "homenagem" com uma montagem de fotos dos dois shows. "Nada se cria, tudo se copia... Valeu a homenagem Prêmio Multishow! Amei! By the way, I love Ludmilla (a propósito, amo Ludmilla)", escreveu na legenda. Ludmilla nem precisou se posicionar sobre a acusação, já que os fãs da funkeira tomaram as dores e passaram a responder a outra carioca dizendo que ela não era pioneira ao usar movimentos de danças indianas. Leia mais

  • Imagem: Arte UOL
    Arte UOL
    Imagem: Arte UOL

    Claudia Leitte x Karol Conká

    A treta não foi bem entre as duas cantoras, mas sim uma acusação que partiu do produtor Péricles Martins, do projeto Boss in Drama. Ele alega que "Lacradora", música mais recente de Claudia Leitte, é uma cópia da letra de "Lista VIP", escrita por ele para Karol Conká. Enquanto Karol Conká canta "Drink na mão, inimigas no chão / Pisando firme, sente a pressão / Só falo uma vez, preste atenção / Uma vez, preste atenção / Recalcadas reunidas / Elas dançam na batida" na música lançada há dois anos, Claudia Leitte convidou Maiara e Maraisa para cantar "Copo na mão / E as inimigas no chão / Copo na mão / E as inimigas no chão / Claudinha lacradora / Dando nas recalcadas / Enquanto a gente brinda / Elas tomam pisão". Como a letra também não é composição de Claudia Leitte, as cantoras nem chegaram a comentar a coincidência. Elas, inclusive, se apresentaram juntas um mês antes de toda a confusão em São Paulo na festa Combatchy, promovida por Anitta. Leia mais

  • Imagem: Arte UOL
    Arte UOL
    Imagem: Arte UOL

    Rick Bonadio x Alok

    Mais uma treta envolvendo um produtor musical. Rick Bonadio, responsável por descobrir o grupo Mamonas Assassinas nos anos 90, não gostou nada da versão que o DJ Alok fez para a música "Pelados em Santos" 20 anos depois da trágica morte dos rapazes de Guarulhos. Bonadio se irritou com um acorde alterado da canção e condenou o remix: "Tá péssimo". Já Alok não gostou nada da bronca e respondeu: "Vem pra cá (estúdio) dar uma atualizada". O DJ ainda chamou o produtor de arrogante pelo tom da crítica que fez ao remix, que seria uma homenagem dele para os Mamonas. Alok disse ainda ter perdido toda a admiração que sentia pelo produtor, responsável também por lançar a banda Charlie Brown Jr. Leia mais

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
Reuters
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
EFE
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Chico Barney
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo