PUBLICIDADE
Topo

Relembrando auge do nu metal, peso do Deftones deixa o público em transe

Marco de Castro

Do UOL, do Rio

24/09/2015 20h13

Segundo expoente da geração nu metal a se apresentar no Rock in Rio, após o Korn, o Deftones é a última atração do Palco Sunset na noite desta quinta-feira (24) de Rock in Rio 2015.

Liderado pelo vocalista Chico Moreno, o grupo californiano, que lançou seu último álbum, “Koy No Yokan”, em 2012, é um dos mais celebrados do metal alternativo, com mais de 7 milhões de cópias vendidas.

A apresentação do Rock in Rio relembrou sucessos como "Change (In the House of Flies)", "My Own Summer (Shove It)" e “Rocket Skates”. A apresentação foi aberta com “Diamond Eyes”, do último disco. Alternando peso brutal e guitarras experimentais e melódicas, gritos estridentes e vocal que lembra bandas estilo shoegaze, o Deftones deixou em transe as pessoas que lotaram a frente do palco.

Diferentemente do Lamb of God, que o antecedeu no palco secundário do festival e incitou o público a abrir "a maior roda de pogo do mundo", o Deftones era visto por uma plateia que em diversos momentos ficou quase estática, à exceção de um ou outro fã que pulava nos riffs mais pesados. Ao final de cada canção, porém, o grupo era muito aplaudido.

Entre os momentos que se destacaram, pode se citar o de “Drive (Cars Over)”, clássico do “metal calça larga”, cujo refrão foi cantado em coro. O set ainda incluiu pedradas como “Knife Party”, “Swerve City” e “Passenger”.

Chegando ao fim do set, Moreno exigiu que a plateia saísse do transe e tirasse os pés do chão com “Engine Nº 9”. Em seguida, a banda encerrou o show com “Headup”, clássico do disco “Around the Fur”, de 1997, acompanhada por imagens de filmes de artes marciais no telão.