Topo

TV e Famosos

Joelma quebra o silêncio e diz que Chimbinha tentou jogá-la do 2º andar

Do UOL, em São Paulo

01/11/2015 22h50

Após um período em silêncio, a cantora Joelma voltou a falar sobre as agressões que teria sofrido de Chimbinha, ex-marido e companheiro na banda Calypso, e o acusou de tentar jogá-la do segundo andar de uma casa, em Recife (PE). As novas declarações foram feitas durante entrevista concedida ao "Fantástico", da TV Globo, neste domingo (1).

"Ele já tinha me agredido no início de carreira. Eu tive que passar três dias trancada no quarto de um hotel até que o meu rosto voltasse ao normal. O motivo [na ocasião] foi o ciúmes. E, depois de três anos, ele tentou me jogar do segundo andar de uma casa, aqui em Recife", relatou Joelma, que alegou não ter o denunciado antes "pela família e com vergonha da exposição".  

Segundo Joelma, Chimbinha "perdia o controle de uma maneira que ninguém conseguia controlá-lo", após a bebida. "Ele não podia ser contrariado", revelou.

  • 48526
  • true
  • http://musica.uol.com.br/enquetes/2015/10/12/joelma-x-chimbinha-quem-voce-vai-seguir-em-2016.js

A líder da banda Calypso também falou sobre "as várias traições" cometidas pelo ex-marido. "Não foi uma, foram várias traições que eu perdoei. As mulheres que passam por isso vão me entender, porque quando você descobre uma traição, o homem chora, pede perdão, e você o perdoa por causa da família, por tudo que os dois construíram. Aí vem uma segunda traição... Tem uma hora que você não aguenta mais", desabafou a cantora. "Quando isso começou a afetar os meus filhos --o meu filho teve que se meter para ele não me bater--, aí eu disse 'chegou o ponto final'", completou.

"Ele dirigia a minha carreira, ele dirigia a minha vida, Ele marcava os shows e eu tinha que cumpri-los. Eu acho que o objetivo dele era mais financeiro do que familiar. Hoje eu vejo dessa forma", disse ela, que também acusou Chimbinha de desviar recursos de uma das empresas do casal para investir em outros artistas.

Ainda durante a entrevista, Joelma descartou a possibilidade de reconciliação com o ex-marido e desejou "sucesso e felicidades" a Thábata Mendes, sua substituta na banda a partir de janeiro do ano que vem.

Em nota enviada à imprensa na noite deste domingo, Chimbinha negou aquilo que classifica como "notícia infundada" sobre as agressões e também sobre os desvios de recursos da empresa. Segundo o músico, essa seria uma estratégia de Joelma para "tentar desviar o foco do sucesso que foi o lançamento do novo Projeto Calypso", ocorrido em Belém (PA) um dia antes. (Leia o comunicado, na íntegra, no final do texto)

O anúncio oficial do fim do casamento de 18 anos de Joelma e Chimbinha foi feito em 19 de agosto deste ano. Na ocasião, os dois afirmaram por meio de um comunicado "que o respeito, gratidão, amizade, admiração e parceria" permaneceriam recíprocos. Não foi o que aconteceu.

Durante a apresentação de um show, Joelma sugeriu que foi traída por Chimbinha e apontou o dedo para o ex-marido ao cantar parte do refrão da música "A Lua Me Traiu".

No dia 11 de setembro, a Justiça do Pará proibiu Chimbinha de ficar a menos de cem metros de Joelma com base na Lei Maria da Penha. Porém, o advogado do músico conseguiu derrubar a liminar uma semana depois, no dia 18, o que viabilizou a volta do guitarrista para a banda. 

Ele, no entanto, só retornou aos palcos no dia 4 de outubro e, mesmo assim, teve de deixar o show 20 minutos depois que Joelma demonstrou o desconforto com a presença do ex-marido. Insatisfeito com a performance da cantora, o público vaiou e jogou objetos no guitarrista, que acabou tocando por poucos minutos e abandonando a apresentação.

Horas depois do episódio, o guitarrista divulgou um comunicado em que dizia não querer ter mais atritos profissionais com a ex-mulher. Para justificar sua postura, Joelma disse que teve "medo e receio" de dividir o palco com o ex-marido.

Banda Calypso se desmanchando após crise

O baterista Juquinha e o assessor Claudio Mello anunciaram a saída da banda Calypso. As mudanças no estafe ocorreram pouco tempo depois da confusão no último show, em Teresina (PI), na qual Chimbinha teve de abandonar o palco e foi hostilizado por alguns fãs de Joelma.

Joelma declarou no programa de Sabrina Sato, na Record, que seguiria com a banda até dezembro, quando encerra a agenda de shows com a Calypso.

Lançada em Belém (PA) no ano de 1999, a banda Calypso gravou 21 CDs e 7 DVDs em 16 anos de carreira, com mais de 15 milhões de cópias vendidas durante o período. O grupo alcançou indicações a prêmios importantes e participou de festivais internacionais.

Artistas criticam Joelma

A confusão entre Joelma e Chimbinha se alastrou por redes sociais e também pelo mundo artístico. Apresentadores, como Ratinho e Sônia Abrão, criticaram a postura da líder da banda Calypso.

"O que ela faz, já passou de todos os limites, um desrespeito, uma falta de dignidade profissional, de carinho com o seu público. Ela manipulou os fãs e conseguiu com todo esse teatrinho de quinta que vem fazendo desde o momento dessa separação", detonou Sônia, durante o "A Tarde é Sua", da Rede TV!. (Veja o desabafo de Sônia na íntegra, no vídeo abaixo)

Ratinho sugeriu a Joelma que conversasse e perdoasse o ex-marido. "Essa briga da Joelma e do Chimbinha está dando muito o que falar. Chimbinha, você está fuzilado. Joelma, você fala muito em perdão, então, por que não perdoa o Chimbinha?! Ela é evangélica e fala a toda hora em perdoar. Aproveita e começa por ele. Não é verdade? E para com essa briga", disse o apresentador ao lado de Roberta Miranda e de outros convidados. 

Chimbinha se defende de novas acusações

O guitarrista Chimbinha, criador da Banda Calypso, nega e lamenta profundamente que notícia infundada sobre violência a seu respeito -- antiga e já respondida ínúmeras vezes  em todos os grandes veículos de comunicação do Brasil e também nas mídias sociais -- esteja sendo utilizada neste momento para tentar desviar o foco do sucesso que foi o lançamento do novo Projeto Calypso, que tem como vocalista a cantora Thábata Mendes, apresentada à imprensa nacional em Belém no último sábado, 31.

Chimbinha desconhece e nega a denúncia de que teria desviado recursos de sua empresa para investir em outros artistas. Ele afirma, no entanto, que é de conhecimento público seu trabalho como empresário e produtor musical desde a juventude e antes de conhecer sua ex-parceira de palco. Tem em seu currículo nada menos do que 400 LPs, Cds e DVDs com sua assinatura e parcerias com os principais nomes da música brasileira, que podem assegurar sua honestidade e talento musical.

Por fim, Chimbinha reafirma novamente sua opção pelo diálogo, pela elegância no trato com as pessoas, pela reserva à sua privacidade (que não vem sendo respeitada) e afirma: “Para mim chega de fofoca. Quero que me deixem trabalhar em paz neste novo projeto e mostrar ao Brasil e à América Latina que o Calypso ainda vai fazer muita gente feliz. Aguardem!”

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber

Mais TV e Famosos