PUBLICIDADE
Topo

Com chuva e som baixo, A-ha faz Rock in Rio voltar aos anos 80

Leonardo Rodrigues

Do UOL, no Rio

27/09/2015 23h12

O grupo norueguês A-ha levou o Rock in Rio 2015, na noite deste domingo (27), a dar o seu maior mergulho nos anos 1980. A década que mais desperta nostalgia no público brasileiro, lembrada por Lulu Santos um dia antes, foi revista de forma exemplar pela banda, que para isso precisou encarar a chuva, o som baixo e uma plateia repleta de adolescentes.

Se a água, que parou de cair no fim do show, não chegou a prejudicá-lo, o mesmo não pode ser dito do som, quase sempre baixo e abafado. Apenas no meio do setlist os decibéis voltaram a subir, variando a intensidade até o fim.

Seja por isso, ou pela própria postura dos integrantes, não muito efusivos em cima do palco, o show não engrenou como poderia. Jovens e guiados por seguidores de Katy Perry, atração principal do último dia de festival, muitos ali nem sequer haviam nascido quando o A-ha dominou as paradas.

Apesar disso, o show teve seus grandes momentos. O primeiro deles logo de saída, quando a banda surgiu tocando "I've Been Losing You", com o verso mais propício possível: "It wasn't the rain that washed away" ("não foi a chuva que levou embora", em livre tradução). "Vocês estão molhados?", brincou o tecladista Magne Furuholmen, antes de entrar na clássica "Crying in the Rain", famoso cover dos Everly Brothers.

A aula de arranjo e composição pop do A-ha incluiu "You Are the One", "Hunting High and Low" e o grand finale com "Take on Me", que reverberou na Cidade do Rock, com seus teclados mais anos 1980 que os próprios anos 1980.

Mas isso não significa viver apenas do passado. Houve espaço para faixas recentes, como "Forest Fire" e "Under the Makeup", que reproduzem com fidelidade o estilo que a banda adotou no início da década de 1990, um synthpop mais moderno e com certo balanço.

Ainda mestre no ofício, o A-ha chegou a afirmar que a reunião recente da banda fora motivada pela possibilidade de tocar no Rock in Rio, onde esteve em 1991. E ainda hoje poderiam dar aula de arranjo e composição pop --incluindo aí a pupila e fã Katy Perry.