PUBLICIDADE
Topo

"Me sinto o morto homenageado", diz Lobão sobre Miklos cantar "Vida Louca"

Do UOL, em São Paulo

13/09/2013 19h59

O cantor Lobão reclamou na noite desta sexta-feira (13) no Twitter do fato de a música "Vida Louca Vida", de autoria dele, ter sido cantada por Paulo Miklos "dando a entender ao público que ela é do Cazuza" no Rock in Rio. "Me sinto como o morto homenageado", disse Lobão, respondendo a pergunta de um seguidor anônimo.

De autoria de Lobão e Bernardo Vilhena, "Vida Louca Vida" ficou conhecida também pela voz de Cazuza. "É claro que deve estar horrível o mané lá cantando", disse Lobão na rede social.

Especiais Rock in Rio

  • Baú do rock: lembre edições de 85, 91, 01 e 11

  • Qual é a música? Tente adivinhar em até 8 s

  • Duelo: qual é a melhor banda do Rock in Rio? 

Momentos antes, questionado também por um usuário anônimo se havia sido convidado a cantar a música no Rock in Rio, Lobão negou: "Mas é claro que não!", afirmou.

Procurada pela reportagem do UOL cantora Maria Gadú, também presente na homenagem, disse: "Não levo nada em conta o que o Lobão fala", completando que desconhece a história que Lobão teve com Cazuza.

Um dos artistas brasileiros mais marcantes da história do Rock in Rio, Cazuza ganhou uma homenagem nesta sexta-feira (13), na Cidade do Rock. Vinte e três anos depois da sua morte, e quase 30 anos da apresentação memorável com o Barão Vermelho, na primeira edição do evento, o público canta músicas que nunca deixaram de tocar nas rádios, como "Ideologia" e "Exagerado".

"Não sei o que Cazuza estaria fazendo hoje em dia, se estivesse vivo, mas ele ia adorar ver o povo nas ruas", disse Frejat sobre as manifestações que correm as ruas do país.

O evento

A quinta edição brasileira do Rock in Rio começa nesta sexta e vai até o dia 22 de setembro. Mais de 160 artistas irão se apresentar em cinco espaços diferentes, divididos entre os sete dias de programação. Quase 600 mil pessoas estão sendo esperadas durante o festival, com uma média de 85 mil espectadores por dia.

A programação deste ano aposta em nomes já consagrados, sendo que a maioria dos artistas já se apresentou no país anteriormente. A escalação privilegia especialmente o pop, destaque do primeiro final de semana, e o heavy metal, destaque do segundo e último final de semana do evento.

O palco Mundo, o maior e principal, conta nesta sexta com as musas Beyoncé e Ivete Sangalo, o eletrônico David Guetta e um tributo a Cazuza reunindo diversos artistas nacionais. O segundo dia (14) diversifica um pouco mais a programação do palco, com os brasileiros do Capital Inicial, o metal pop do 30 Seconds to Mars, as influências soul do Florence and the Machine e o indie pop do Muse. Já o domingo (15) investe no pop com influências de R&B de Jota Quest, Jessie J, Alicia Keys e Justin Timberlake.